Lula promete reconstruir os Correios, empresa responsável por provocar o escândalo do mensalão

Lula decidiu recuperar os Correios, suspendendo a privatização e implementando medidas para reestruturar a empresa, como investimentos em tecnologia

O governo Lula está empenhado em recuperar a Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos, após suspender o plano de privatização. Lula assinou os primeiros decretos de seu novo mandato, retirando os Correios da lista de empresas a serem privatizadas. Essa decisão marcou uma mudança clara em relação à política anterior, que previa a privatização da empresa.

A nova administração pretende reestruturar a empresa, fortalecendo sua posição como uma estatal vital para o país. O plano inclui a implementação de novos serviços, a construção de centros de distribuição e investimentos em tecnologia e marketing, visando à sustentabilidade da empresa.

Os Correios planejam intensificar suas ações de marketing, retomar as contratações e restaurar os benefícios aos funcionários. Em 2016, a empresa contava com 115 mil colaboradores, mas agora possui 85 mil. A redução do quadro, por meio de programas de demissão voluntária, foi uma das medidas adotadas para reequilibrar as finanças antes da tentativa de privatização no governo anterior.

Correios encerraram 2023 com prejuízo de R$ 597 milhões. O relatório publicado no DOU (Diário Oficial da União), mostraram que as contas da estatal melhoraram em relação a 2022, quando o prejuízo foi de R$ 768 milhões. Segundo o balanço, a receita dos Correios em 2023 é de US$ 21,6 bilhões, queda de 1,83% em relação a 2022.

O relatório refere ainda que as receitas do segmento internacional aumentaram 23,2%, ajudando a equilibrar o correio e compensando a queda de quase 5% nas receitas de encomendas e mensagens. Entre os fatores que contribuem para esse resultado positivo no segmento internacional estão o crescimento do e-commerce do Brasil e a melhoria dos serviços de entrega.

Além disso, a estatal reduziu custos de R$ 22,8 bilhões em 2022 para R$ 22,2 bilhões em 2023, representando uma redução de 2,52%. No total, a empresa investiu R$ 755,4 milhões em 2023, queda de 0,4% em relação a 2022. A renovação da frota foi um dos destaques desse investimento, com a aquisição de mais de três mil carros, mil bicicletas.

“Este programa visa melhorar significativamente as condições de trabalho dos funcionários dos correios, reduzir as emissões de gases com efeito de estufa, aumentar a produtividade e poupar custos operacionais”, afirma o relatório. Além disso, também propôs aumentar os salários e restaurar os benefícios cortados aos funcionários. Segundo este documento, o número de trabalhadores chega a 85.882 pessoas, uma descida de cerca de 2% face a 2022.

Assine nossa Newsletter Matérias exclusivas na sua caixa de entrada.

Agora você ter acesso a reportagens exclusivas produzidas por
premiados jornalistas investigativos.